por Paulo Bregantin

Conhecendo a depressão

A depressão é uma doença muito grave e não é simplesmente psicossomática, mas sim uma doença psiquiátrica, crônica e recorrente.

A depressão produz, na maioria das vezes, uma alteração muito grande no humor da pessoa e, uma característica muito importante é uma tristeza profunda, uma sensação de algo que não acabará mais, um outro aspecto são os sentimentos de dor, as sensações de amargura consigo mesmo e com as outras pessoas, principalmente as mais próximas.

É muito perceptivo também a sensação de desencanto da vida e dos significados da vida (relacionamentos, atividade sexual, estudos, etc). A falta de esperança é uma sensação real e, com isso, a baixa autoestima é alterada e prejudicada. A culpa aparece como se fosse uma torrente de água sem controle sobre a vida de quem está no processo de depressão.

Afeta profundamente o apetite, sono e as atividades normais diárias.

Claro, que o que descrevi acima como características da depressão, não tem a ver com os problemas que podemos ser acometidos, pois se perdemos um ente querido ou mesmo em uma separação, ou qualquer outra perda de muito valor, as sensações acima serão transitórias e passageiras, porém, se for uma depressão elas não necessitam de um causa, pois acontecem de forma instantânea e sem causa aparente.

Hoje, mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofre com a depressão, logo, por ser um problema/doença que acomete tanta gente devemos nos atentar às primeiras sensações e tentar controlar as ações dessa doença/problema tão devastadora.

A depressão é uma doença incapacitante e os quadros podem variar de intensidade e duração e são classificas em leves, moderadas e graves.

Não existem causas específicas e, os fatores genéticos estão envolvidos, ou seja, a depressão pode ter como causa uma disfunção bioquímica do cérebro, hoje, estão sendo feitos muitos estudos para comprovar isso, já sabemos que é uma doença, porém, ainda não existe uma causa específica. Isso porque nem todas as pessoas reagem de forma igual e, nem tem predisposição para os fatores apresentados acima que caracterizam a depressão.

"A depressão é uma doença incapacitante e os quadros podem variar de intensidade e duração"

Cada caso é um caso. Cada pessoa tem um “gatilho” diferente para desencadear a depressão, a isso podemos colocar os acontecimentos traumáticos na infância, estresse físico e psicológico, doenças traumáticas como hipertireoidísmo, consumo de drogas lícitas(álcool e cigarro), ilícitas(maconha, cocaína, etc), certos tipos de medicamentos (anfetaminas, entre outras).

As mulheres pelos estudos realizados até aqui parecem ser mais vulneráveis aos estados depressivos, acreditasse que em virtude da oscilação hormonal, principalmente no período fértil.

A autoestima fica muito baixa, se sente culpado de tudo o que acontece. A libído fica completamente prejudicada (sem tesão para o sexo). Desejo de autodestruição e destruir o que conquistou.Os sintomas tanto em homem como em mulheres são muito parecidos, ou seja, sentir-se deprimido a maior parte do tempo do dia, isso pode ocorrer quase todos os dias, desinteresse em realizar as atividades diárias mais comuns, alteração do peso (ganhar ou perder), o sono pode ficar totalmente alterado e prejudicado (dormir muito ou não conseguir dormir nada), muita agitação ou apatia motora (sem vontade de fazer as coisas), culpa excessiva (sentimento permanente de culpa e inutilidade), fadiga ou perda da energia constante. A concentração fica completamente comprometida (não tem vontade de pensar e quando pensa não consegue concentrar-se). Ideias suicidas, pensamento recorrente de suicido e morte.

Se for diagnosticada a depressão é fundamental um acompanhamento médico e psicológico da pessoa e, ás vezes, será necessário o uso de medicamentos para o equilíbrio e depois um processo de terapia para o entendimento da doença. Lembra: cada caso é um caso quando falamos em depressão. Não existe uma regra de conduta, pois cada pessoa depressiva reage de uma forma ao tratamento. Pois na crise é fundamental medicamentos e acompanhamento psiquiátrico e, nos casos mais leves e moderados a psicoterapia.Claro que para avaliar se estamos ou não com depressão é muito importante que vários desses sintomas/características acima estejam acontecendo simultaneamente, algumas sensações isoladas não significam que está com depressão. Ás vezes é muito importante procurar um profissional para avaliar se estamos com depressão ou não.

É fundamental que todos da família da pessoa com depressão fiquem a par do que é a depressão, e que a pessoa necessita muito de ajuda e entendimento sobre a doença, pois será muito importante no processo de cura da pessoa portadora da doença. O desconhecimento da doença é causa de preconceito e distorções.

A depressão pode ocorrer com qualquer pessoa e em qualquer idade, por isso avaliar e perceber os sintomas é muito importante, o quanto antes isso acontecer melhor. Se todos estamos sujeitos a ter depressão, devemos cuidar de nós mesmos e dos outros.

 

Paulo Bregantin

+ artigos

Mais de 25 anos dedicado ao cuidado de pessoas, sendo Psicanalista Clínico e escritor com várias obras publicadas. Atua nas redes sociais como dono, gerenciando a página Paulo Bregantin e o Grupo Psicanálise Integrativa.

facebook /Paulo-Bregantin